Passado criminoso: documentos revelam prisão de Aleomar Rezende (MDB), por tráfico de drogas, em 1987

0
1151

Desde o início desta última semana de campanha, a população mineirense teve acesso a documentos criminais apontando que candidato a prefeito de Mineiros (GO) pelo MDB, Aleomar Rezende, já foi condenado a quatro anos por tráfico de drogas. O fato não era de conhecimento público e aconteceu em 1987. O prefeitável, preso em flagrante na época, era conhecido como “Perdigueiro”.

De acordo com o auto de ação criminal apurado, no dia 2 de setembro de 1987, policiais da Delegacia Estadual de Combate a Tóxicos e Entorpecentes em Diligências chegaram a Aleomar, em Goiânia, que portava porção de cocaína. Junto ao emedebista, na época, foram indiciados Divino César de Oliveira, Geraldo Moraes de Oliveira e Antônio Alcântara, e citado Tomaz.

Ainda de acordo com o documento, ao ser interrogado, Divino César, que também portava drogas, declarou que o conteúdo era parte de um maior que seria destinado a Aleomar. Além da cocaína, a investigação também apurou o comércio de Cannabis Sativa – maconha – entre os acusados.

“Interrogando o denunciado, Divino César Moraes de Oliveiro declarou que a porção de cocaína apresentada em seu poder era parte de uma porção maior, conseguida em Alto Araguaia (MT), e destinada a Aleomar de Oliveira Rezende, o Perdigueiro, residente nesta capital [Goiânia], a quem entregaria parte da referida droga, auxiliado pelo denunciado Geraldo Luíz Moraes de Oliveira (…) Por sua vez, Aleomar de Oliveira Rezende declarou ter recebido um telefonema de Tomaz que combinou a remessa, por Divino César, de aproximadamente 100 gramas de cocaína, na importância em torno de CZ$ 35.000,00 a CZ$ 40.000,00”, aponta o documento.

A acusação ainda aponta que o lucro da droga vendida seria enviado para Tomaz. Por sua vez, Antônio Rabelo declarou ter sido procurado por Aleomar para que ambos fizessem a comercialização da cocaína, e o acordo foi firmado.

Condenação

No documento de condenação, a conduta dos réus foi enquadrada no artigo 12 da Lei nº 6.368/76, que dispõe sobre o porte de substâncias entorpecentes.

“Atendendo a culpabilidade de Aleomar, que é intensa, pois era o destinatário de toda a cocaína; à ausência de antecedentes criminais, à sua má personalidade, ante o egoísmo demonstrado; às desfavoráveis circunstâncias, pois se juntou aos co-réus para a prática de do crime; (…) fixo a pena-base em quatro anos e seis meses de reclusão, que reduz para quatro anos, em virtude do réu conter apenas 20 anos de idade”, apontou o juiz da época.

Corrida pela Prefeitura de Mineiros

O fato veio à tona, na segunda-feira (9/11), após a Rádio Band News de Goiânia divulgar lista de políticos com passado criminoso. O emedebista é sobrinho e ex-assessor de Agenor Rezende, atual prefeito de Mineiros, por dois mandatos seguidos, e disputa a prefeitura contra a candidata de oposição, Dra. Flávia (DEM).

Na época em que Aleomar foi preso, Agenor era deputado estadual (1986 a 1994), tendo renunciado ao cargo de vereador. Após a divulgação do conteúdo criminal, em vídeo publicado nas redes sociais, o emedebista associou a tona dos fatos como obra de campanha da candidata adversária. No entanto, não há provas que comprovem participação da democrata na revelação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here