“MDB não se resume a Iris Rezende”, diz presidente do partido

0
321

Causou estranheza entre emedebistas a declaração do presidente metropolitano do MDB, Carlos Júnior, que insuflou ainda mais o debate eleitoral ao dizer que o partido não se resume ao prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB). “O MDB de Goiânia é forte, tem militância e não se resume a Iris Rezende. Foi à luta, pediu voto e levou seu candidato”, disse em entrevista ao Diário de Goiás, neste terça-feira (17), numa referência ao resultado da campanha eleitoral, que foi realizada nos últimos 27 dias sem a presença do candidato Maguito Vilela (MDB). Ele está internado desde o dia 22 de outubro com Covid-19.

A estranheza está no fato de que a campanha emedebista focou seu discurso dos programas de TV na vinculação de Maguito a Iris, algo que a equipe de Vanderlan Cardoso (PSD) tem apontado e criticado. Maguito foi apresentado como sucessor “legítimo” e único candidato “leal” ao atual prefeito, embora Vanderlan tenha sempre elogiado Iris e afirmado quer a presença do atual prefeito nas inaugurações de obras que concluir.

Mesmo entubado por conta de complicações com a Covid-19, o índice de intenção de voto de Maguito cresceu, obedecendo a expectativa dos marqueteiros. E o de Vanderlan caiu. No domingo, Maguito precisou passar novamente por uma entubação. A decisão pelo procedimento foi tomada pela manhã, mas a campanha só divulgou nota sobre o quadro clínico às 18h44, após o encerramento das votações.

Em entrevista a rádio Sagres, Vanderlan Cardoso criticou os coordenadores da campanha emedebista. “Estão enganando o eleitor”, disse. Os emedebistas reagiram imediatamente, afirmando que Vanderlan está agindo com insensibilidade. Até o momento, já foram três notas de repúdio por parte das assessorias das campanhas, os dois lados repudiam a utilização do estado de saúde de Maguito como instrumento eleitoral. O debate segue intenso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here