Pazuello: “vacina registrada, segura e para toda população”

0
262
Foto: Hegon Corrêa

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, reafirmou as diretrizes do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, durante a inauguração oficial do Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara (HMMCC), nesta sexta-feira, 11, no Conjunto Vera Cruz, em Goiânia. “A solução será a vacina registrada, segura e distribuída para toda população brasileira”, afirmou, ao lado do governador Ronaldo Caiado.

O governador pontuou que as palavras do ministro tranquilizam a população. “A ansiedade pode existir, mas a dúvida jamais. A federação brasileira é única e esse trabalho será coordenado exclusivamente pelo ministro Pazuello e pelo Ministério da Saúde, em condições igualitárias”, afirmou. “Não pode deixar permear a ideia de que teremos o Brasil com vacina e um Brasil sem vacina. Todos serão tratados como brasileiros, que merecem respeito, direito à vida e à vacinação”, completou.

O ministro voltou a garantir: “Nenhum Estado será tratado de forma diferente, nenhum brasileiro terá vantagem sobre outros. Isso é um compromisso meu e do governo do presidente Jair Bolsonaro.” Pazuello informou que tem realizado reuniões em Brasília na busca por recursos e conversado com todos os fabricantes de imunizantes. A princípio, disse, são articulações sem contratos vinculantes, mas “memorandos de entendimento”. E ainda reconheceu: “Goiânia e Goiás têm sido um exemplo na resposta ao combate ao Covid-19. Isso é mérito de todos os gestores e cidadãos”.

Outra preocupação do ministro são os registros e autorizações concedidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele afirmou cobrar, pessoalmente, celeridade e lembrou que ainda não há, no mundo, nenhuma vacina registrada. Explicou que a imunização na Inglaterra se deve à autorização emergencial de uso para grupos restritos e com assinatura de responsabilidade individual de forma muito grave, muito controlada. Da mesma forma, disse, foi feito nos Estados Unidos nesta quinta-feira (10/12) e será solicitada à Anvisa no Brasil. “Mas não é isso que consideramos como solução”, disse, reforçando que o caminho é a vacina com registro para a promoção do Plano Nacional de Imunização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here