Começa etapa executiva do Projeto Juntos pelo Araguaia

0
468

Em uma parceria inédita, os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado, e de Mato Grosso, Mauro Mendes, e o ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, deram início à etapa executiva do Projeto Juntos pelo Araguaia, que conta com investimento privado de R$ 7 milhões.

O evento foi realizado nesta sexta-feira, 18, em Piranhas, no Oeste goiano, e marcou também o lançamento do Programa Águas Brasileiras, que busca garantir a revitalização das principais bacias hidrográficas do País, entre elas a do Rio Araguaia.

Anfitrião na solenidade e idealizador do Juntos pelo Araguaia, ainda em 2018, Caiado informou que a etapa atual da proposta engloba a recuperação de 10 mil hectares de vegetação – 5 mil pelo lado goiano do rio, com o envolvimento de 16 municípios, e 5 mil pelo matogrossense, com 12 municípios.

A execução será feita pelo Instituto Espinhaço, em parceria com os governos de Goiás e de Mato Grosso. “Esse é o maior projeto de recuperação ambiental do mundo”, disse Caiado em entrevista coletiva. “Temos de reconhecer a importância do projeto elaborado pelo instituto”, agradeceu.

O governador de Goiás frisou que a implantação do projeto acaba com a distorção maniqueísta entre enfrentamentos dos setores rural e urbano, ou entre industriais e trabalhadores. Ele falou que as parcerias foram fundamentais para o desenvolvimento da ação, já que, a partir do lançamento, realizado em julho do ano passado, o governo federal assumiu o ônus de bancar R$ 3 milhões para subsidiar os estudos que culminaram com a primeira atividade prática na fazenda Buriti Alto, do produtor rural Omar Paula.

“O Araguaia sempre pulsou forte em mim. Vamos mostrar ao mundo que nós, além de produzirmos bem, temos a maior reserva de água doce do planeta. Goiás e Mato Grosso saem na frente na preservação da mata, do Cerrado, dos nossos rios e matas ciliares”, avaliou Caiado.

Para o ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, as duas iniciativas – a específica do Araguaia e a que inclui as bacias hidrográficas de todo o País – atendem a um anseio da população: unir sustentabilidade e respeito ao meio ambiente, com inclusão de pessoas no processo produtivo. “Não podemos preservar sem nos lembrar que a centralidade são os seres humanos, os brasileiros e brasileiras que habitam toda a extensão do nosso território e que precisam ser vistos com inclusão no desenvolvimento sustentável”, reforçou Marinho.

O titular do MDR informou que o ministro Wagner de Campos Rosário, da Controladoria Geral da União (CGU), se juntou ao esforço coletivo do qual já fazem parte, na esfera federal, além do MDR, os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Meio Ambiente (MMA), e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A intenção, disse Marinho, é garantir os recursos necessários para que as “melhores intenções se convertam em concretude, em gestos objetivos e em edificações de obras”.

Parceiro da ação, o presidente do Instituto Espinhaço, Luiz Oliveira, opinou que o objetivo deve ser um só: mudar a vida das pessoas que vivem ao redor da bacia hidrográfica. “Engana-se quem pensa que o Juntos pelo Araguaia é um projeto de recuperar, plantar árvores ou apenas salvar bichinhos. É um programa para ressignificar a vida do produtor rural no Estado e garantir desenvolvimento.” A associação civil, sem fins lucrativos, atua nas áreas de biodiversidade, cultura e desenvolvimento socioambiental.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here