Hemocentro Regional de Jataí inicia produção de plaquetas na região sudoeste do Estado

0
198

 

O Hemocentro Regional de Jataí iniciou nessa segunda-feira, 21 de dezembro, a produção de plaquetas na região sudoeste de Goiás. Segundo a diretora-técnica da Hemorrede Pública de Goiás, Ana Cristina Novais, com a oferta deste serviço, o banco de sangue, que atende unidades de saúde públicas de 10 municípios da região – Jataí, Mineiros, Aporé, Chapadão do Céu, Doverlândia, Portelândia, Caiapônia, Santa Rita do Araguaia, Perolândia e Serranópolis –  passa a garantir mais agilidade no atendimento. “Essa é a sexta unidade da Hemorrede que passa a produzir plaquetas no Estado, com isso, vamos descentralizar os serviços prestados pelo Hemocentro Coordenador, reduzindo custos e garantindo mais eficiência na distribuição de sangue e hemoderivados nas unidades de saúde atendidas por nós”, afirma.

A diretora destaca que só em 2020 três unidades do interior – Porangatu, Ceres e Jataí – iniciaram o processo de produção de plaquetas randômicas, extraídas do sangue através de uma centrífuga. “Isso só foi possível porque desde que o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) assumiu a gestão da Hemorrede temos investido na aquisição de novos equipamentos, na qualificação dos nossos colaboradores e na adequação física das unidades do interior e da capital”, ressalta.

Com mais esse serviço, Ana Cristina ressalta a importância do engajamento da comunidade junto ao Hemocentro de Jataí. “Agora, por meio da doação de sangue, os moradores de Jataí também podem ajudar ainda mais pessoas, uma vez que as plaquetas são usadas no tratamento pacientes oncológicos e de doenças como dengue, covid-19, além de acidentes e intervenções cirúrgicas”. Segundo ela, para atender um único paciente com plaqueta randômica são necessários oito doadores, podendo chegar facilmente a 20 doadores em média, dependendo da complexidade.

A diretora chama a atenção também para necessidade de reposição constante do estoque, uma vez que as plaquetas têm uma vida útil bem menor do que os demais hemocomponentes. Por isso, é muito importante que quem está apto para doação seja um voluntário. “Para se ter uma ideia, enquanto o concentrado de hemácias tem validade de 35 a 42 dias, no caso das plaquetas esse prazo cai para cinco dias”, diz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here