Caiado cita “revolução” ao inaugurar laboratórios de robótica

0
357
Foto: Wesley Costa

O governador Ronaldo Caiado inaugurou, na última quarta-feira (12), em Goiânia, as duas primeiras unidades no Estado do projeto Include, parceria do Governo de Goiás, por meio do Goiás Social, com o Instituto Campus Party. O primeiro laboratório está instalado no Colégio Estadual Joaquim Edson de Camargo, no Jardim Novo Mundo, região Leste. Na sequência, o governador entregou, no Centro de Educação Comunitária de Meninos e Meninas (Cecom), no Setor Santos Dumont, região Centro-Oeste, o segundo espaço de tecnologia na capital.

“Quando você faz uma mudança de conceito e segue corretamente a aplicação do dinheiro, acontece uma revolução em uma área que é fundamental: a educação. Eu sou apaixonado por essa turma toda. Dá gosto ver”, celebrou Caiado.

Nos novos laboratórios, a equipe do Include capacita gratuitamente jovens e crianças com idade entre 12 e 20 anos por meio do ensino da robótica, programação, eletrônica, sensores e mecânica. Também há oficinas de empreendedorismo e IOT (Internet das Coisas). A expectativa é atender, aproximadamente, dois mil estudantes de comunidades locais em situação de vulnerabilidade social até 2023.

Instalados em escolas e centros educacionais, os laboratórios possuem mobília e equipamentos de primeira linha para o ensino de robótica, computadores, impressoras 3D, óculos de realidade virtual e drones.

Além das unidades na capital, Goiás conta com outras quatro, em Luziânia e Valparaíso de Goiás, Alto Paraíso e Cavalcante, onde vivem cerca de 880 famílias da comunidade quilombola Kalunga. “Estamos fazendo com que isso chegue às regiões mais carentes. Temos que fazer com que a evasão escolar seja menor, e ter uma boa qualidade de educação. Dar a essas crianças a expectativa de que vão se qualificar para esse mundo informatizado que nós temos”, avaliou Caiado.

Mais laboratórios
De acordo com o presidente do Instituto Campus Party, Francesco Farrugia, Goiás vai se tornar o estado com o maior número de estruturas, entre 25 e 30. “Hoje, nós temos laboratórios na Amazônia, em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Bahia. Mas a maior quantidade, ao final deste ano, vai estar aqui no Estado”, garantiu.

O objetivo do projeto é difundir o uso da tecnologia e promover a inclusão social, com a oferta de ferramentas que garantam educação de qualidade e desenvolvam habilidades dentro de um ecossistema inovador.

O Governo de Goiás ainda promove a sustentabilidade na utilização nos equipamentos do programa. É o caso dos filamentos para as impressoras 3D, que são feitos de plástico reciclado, por meio do projeto Sukatech, organizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here