Anápolis inicia imunização dos professores contra Covid-19

0
299
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira, 18, Anápolis começou a vacinação contra a Covid-19 em profissionais da educação, dando início a uma nova etapa. A imunização começou com os funcionários do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), Nazaré Cunha Leão. A professora do centro, Keyla Cristina Borges, foi a primeira professora de Goiás a receber a dose da Oxford Astrazeneca.

“Estou muito feliz de ser a representante dos professores, da educação do nosso CMEI. E estávamos na espera desde o início, de uma solução para voltar presencialmente, pois nossas crianças merecem”, comemorou a professora.

Sobre um possível retorno às aulas presenciais, Keyla disse que a vacinação é o primeiro passo para receber as crianças em segurança. “Nós não sabemos a abrangência que vai ser, mas tudo seguirá com planejamento e ação da prefeitura. Nós estamos nos vacinando para voltarmos preparados”, explicou.

Segundo o secretário da saúde de Anápolis, Júlio César Espíndola, o município está organizado para as próximas as etapas e tem avançado com os grupos de idosos e pessoas com comorbidades. “A questão da primeira dose em pessoas com comorbidades, gestantes e outros, que estão nesse grupo, já deu uma diminuída. Portanto conseguimos avançar para outros grupos, agora são os professores. Vamos avançar também para o sistema prisional e para pessoas em situação de rua”, disse.

Logística de vacinação

O prefeito Roberto Naves (Partido Novo), falou sobre a logística de vacinação anapolina e das próximas fases da campanha. “Desenvolvemos um software que possibilitou à população fazer um cadastro, e com ele é possível calcular uma estimativa”, disse.

Segundo Roberto, o município tem cerca de 11 mil pessoas que foram cadastradas – com comorbidades, grávidas e deficientes – e cerca de 8.500, ou seja, passando de 80%, no que diz respeito a taxa de vacinação. “No nosso estoque hoje, ainda temos 18 mil lotes da primeira dose, portanto o que nós fizemos foi simplesmente seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI), que diz, que na segunda fase devem ser inseridos os professores e pessoas que trabalham no transporte público. E é isso que nós estamos fazendo”, explicou.

O prefeito disse, ainda, que a imunização das pessoas que têm comorbidade, deficiência permanente e grávidas vai continuar. “Temos vacinas reservadas para todas essas pessoas e para avançar para essa segunda fase. Uma coisa importante a se dizer, essa decisão foi tomada depois de estudos, que foram feitos na última semana. O número de pessoas que estavam procurando os postos de vacina cada vez mais estava diminuindo, e isso mostra que nós estávamos chegando muito perto de vacinar todos aqueles da primeira fase, dando a possibilidade de chegar na segunda, que é o que fizemos hoje”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here