Filha de pedreiro e costureira ganha bolsa em Harvard

A goiana de Mara Rosa, que teve toda trajetória escolar na rede pública, viaja em agosto para os Estados Unidos

0
585
Foto: Divulgação

Por Fabíola Rodrigues

A goiana Thauany Micaelly Araújo Galvão, de 22 anos, ganhou uma bolsa de estudos na Universidade de Harvard, que fica em Boston, nos Estados Unidos. A jovem, de família humilde, nascida no interior de Goiás, estudou a vida inteira em escola pública e cursou faculdade como bolsista por não ter condições de custear o curso de Farmácia. Thauany é filha de servente de pedreiro e de costureira e sente orgulho de neste mês de maio ter sido matriculada na universidade americana.

Recém-formada no curso de Farmácia, a jovem colou grau no mês de janeiro deste ano. Para dar seguimento aos estudos, ela começou a procurar cursos de pós-graduação, ou especialização para cursar, e em um dado momento resolveu se inscrever no curso de pesquisa clínica, em Harvard, mas sem muita esperança. “Pensei: vou tentar por tentar, vamos ver no que vai dar”, diz Thauany. E deu muito certo. O sentimento de querer fazer o curso era muito maior do que as limitações financeiras, que sempre foram uma barreira para a família.

A universidade deu bolsa de 25% para o curso de pesquisa clínica e o restante será custeado pela estudante, que agora já é acadêmica em Harvard. Sem condições de arcar com o valor restante, Thauany fez uma vaquinha on-line para arrecadar o valor necessário para pagar o curso e se manter nos Estados Unidos durante seis meses. Ela viajará no segundo semestre, enquanto isso começou a organizar a documentação do visto. E durante este período ela começará a pós-graduação on-line.

Houve momentos em que a estudante pensou em desistir, pois a matrícula no valor de U$ 600 teve que ser feita na primeira quinzena de maio. Thauany, então, pensou em recorrer à Faculdade Unida de Campinas (FacUnicamps), instituição na qual realizou a graduação, e a entidade ajudou, custeando a matrícula. O restante do valor e gastos que ela terá durante o curso de seis meses segue sendo arrecadado no site pela vaquinha on-line.

O pró-reitor da FacUni­camps, Almério Júnior, fala da estudante com muito orgulho e lembra que a trajetória acadêmica dela foi um sucesso. “Ela foi uma aluna muito presente, dedicada. Sempre se interessou pelos trabalhos da faculdade e, com todas as dificuldades e vindo de uma família humilde, não desistiu em nenhum momento. O histórico dela é muito bom e sempre com notas boas. Isso nos incentiva e mostra que estamos no caminho certo”, relata o pró-reitor.

Para Almério Júnior, o gesto da faculdade pagar a matrícula é uma demonstração de  incentivo e reconhecimento. “O comprometimento com os estudos é fundamental para o estudante ter qualidade no ensino. Essa moça lutou pelo espaço dela e conseguiu. Estamos reconhecendo a maravilhosa conquista que ela teve”, observa.

A repercussão da jovem goiana está alcançando o mundo. Quando Thauany recebeu o e-mail de que foi aceita em Harvard ela publicou nas redes sociais para compartilhar com os amigos. “O reitor da Harvard viu minha postagem e comentou que estavam maravilhados com meu ingresso na universidade, que sentem prazer em me aceitar”, conta a estudante.  Thauany relata que quando chegar a Harvard os gestores escolares pretendem ouvir a história dela.

Sonhos levaram estudante a ir além

A paixão de Thauany pelos estudos vem da infância. A mãe, Egla de Fátima Araújo Galvão, 53 anos, que é costureira, conta que a filha ama estudar desde muito pequena e que os primeiros brinquedos dela eram o lápis e o caderno. “A vida inteira eu e meu esposo a apoiamos  porque vimos que era uma menina apaixonada por descobertas, conhecimento. Dentro da nossa realidade, sempre tentamos fazer de tudo para estar ao lado dela”, conta Egla.

Quando a costureira recebeu a notícia de que a filha foi aprovada na universidade, o sentimento de orgulho tomou conta. “Estou muito orgulhosa e feliz. Essa notícia enche meu coração de felicidade. Nossa origem é humilde, mas nunca desistimos de acreditar que nossa filha iria chegar longe. Alegria, alegria, alegria é o que sinto”, disse.

Natural de Mara Rosa e criada pelos pais na cidade de Estrela do Norte, interior de Goiás, ela aprendeu a ler e escrever aos 4 anos de idade e pulou, na época, direto para o primeiro ano escolar, sem necessidade de fazer o jardim de infância e a pré-escola.  Há quase sete anos a família veio para Goiânia para a filha cursar faculdade. Ela ingressou no ensino superior aos 16 anos, com bolsa de estudos.

Por gostar muito de pesquisa, a estudante viu no curso de Farmácia um leque de oportunidades para realizar seus sonhos. Formou-se no final do ano passado e, já farmacêutica, assumiu o cargo de secretária do Comitê de Ética do Centro de Pesquisa. “Amo fazer pesquisa. Acredito que por meio dela podemos encontrar soluções que beneficiam as pessoas. Estou aberta ao conhecimento e quero contribuir com o desenvolvimento da ciência. Sem contar que é muito bom ver mulheres ajudando nesse processo de evolução, porque o lugar da mulher é onde ela quiser. No meu caso, quero ser pesquisadora. Pretendo dar minha contribuição com muito empenho e amor”, expressa Thauany.

A estudante está com a vaquinha on-line aberta pelo endereço no site: www-vakinha-com-br.cdn.ampproject.org/c/s/www.vakinha.com.br/vaquinha/bolsa-para-harvard-amp para ajudar a pagar a parte que a bolsa não cobre do curso de pós-graduação em pesquisa clínica que fará em Harvard. Além dos R$ 30 mil que serão destinados para pagar as mensalidades, existem os gastos de deslocamento, aluguel, alimentação e transporte. “Sempre soube que os desafios são grandes, mas com a ajuda de cada um esse sonho pode ir além. Tem se tornado realidade e meu coração se enche de gratidão por tudo”, conclui Thauany.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here