Secretários municipais debatem Plano de Cidades Inteligentes para Goiânia

O Encontro Regional Goiânia apresentará um recorte do Ranking Connected Smart Cities, que aponta a capital na 3ª posição, no Centro-Oeste, e 22ª colocação entre as cidades com mais de 500 mil habitantes. Já no indicador Geral, Goiânia subiu 4 posições e atingiu o 36º lugar

0
301
Fonte: Divulgação

O secretário do Escritório de Prioridades Estratégicas da Prefeitura de Goiânia, Fabio Cammarota, será o debatedor do Encontro Regional Goiânia do Connected Smart Cities & Mobility, iniciativa da Necta para debater iniciativas de smart cities no contexto da capital goianiense. O evento será na próxima terça-feira (1), às 9 horas. Inscrições são gratuitas e podem serem feitas pelo site (https://evento.connectedsmartcities.com.br/eventos-regionais/)

A edição faz parte da agenda de eventos regionais da plataforma, em 2021, em todas as capitais do País, contemplando 27 ações, entre fevereiro e agosto. Em Goiânia, a prefeitura municipal, por meio de suas secretarias, apoia o evento. “Goiânia vive um momento singular, onde o prefeito Rogério Cruz tem determinação em inovar e oferecer melhores serviços aos goianienses”, diz Cammarota.

O Encontro Regional Goiânia é o 2º da Região Centro-Oeste e o 15º da agenda da plataforma e faz parte das iniciativas da sétima edição do evento nacional Connected Smart Cities & Mobility, que acontece, em São Paulo, entre os dias 01 e 03 de setembro de 2021, e conta com programação pré-evento.

A iniciativa reunirá especialistas em smart cities e acontece ao vivo, em formato virtual, com destaque para a programação, com a apresentação do Plano de Desenvolvimento de Cidades Inteligentes para Goiânia e dos indicadores de desenvolvimento, no contexto do Ranking Connected Smart Cities 2020.

Conforme o estudo, no recorte regional, a capital atingiu a 3ª posição, no Centro-Oeste, e a 22ª colocação entre as cidades com mais de 500 mil habitantes. Já no indicador Geral, Goiânia subiu 4 posições e figura entre os 36 municípios mais bem posicionados do País.

“Somos a principal plataforma do ecossistema de cidades inteligentes e mobilidade urbana no Brasil e fomentar esse tema da forma mais abrangente possível faz todo o sentido para o nosso trabalho. Os encontros e outras atividades permitem que o debate e as boas práticas para a cidades e a mobilidade urbana alcancem mais municípios. E, assim como nas demais regiões, teremos uma agenda importante na capital goianiense. Para tanto, contamos com o envolvimento dos vários atores com atuação no desenvolvimento mais sustentável das cidades”, disse Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility.

Além do titular do Escritório de Prioridades Estratégicas, estão confirmados para o evento: André Rodrigues Martins, secretário Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec) da Prefeitura de Goiânia; Horácio Mello, secretário Municipal de Mobilidade (SMT) da Prefeitura de Goiânia; e Rafael Meirelles, secretário Executivo de Desenvolvimento e Economia Criativa (Sedec) da Prefeitura de Goiânia. Além de: Carlos Eduardo Cardoso, responsável e-city da Enel X; Marcel Potolski, gerente Comercial da Signify; Larissa Tavares, diretora de Negócios para Cidades Inteligentes da Sonner; Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility; Willian Rigon, diretor e sócio da Urban Systems e Connected Smart Cities.

Fonte: Divulgação

A programação do Encontro Regional Goiânia conta com a apresentação dos destaques da cidade no Ranking Connected Smart Cities, que compreende 70 indicadores segmentados em 11 eixos temáticos: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, educação, saúde, segurança, energia, empreendedorismo, tecnologia e inovação, governança e economia e adapta os principais estudos internacionais e a ISO 37.122, referente à indicadores para cidades inteligentes.

Além dos resultados gerais, o Ranking CSC traz análises segmentadas pelos eixos temáticos, permitindo uma visão Regional do Brasil, considerando o porte de municípios. A cidade está inserida no recorte dos municípios com mais de 500 mil habitantes.

Willian Rigon, diretor e sócio da Urban Systems e Connected Smart Cities, que também coordena o estudo, cita que a cidade se destaca na infraestrutura tecnológica oferecida, com 43% das conexões de banda larga com velocidade superior a 34 megabytes, contra 25,8% no estudo de 2019, além da boa oferta de operadoras de telefonia móvel com 4.5G e fornecimento de banda larga fixa-total de 6 empresas. “A cidade também teve um grande aumento na produção de patentes, com depósito de 31,9 por cem mil habitantes, mostrando um crescimento expressivo em relação ao levantamento anterior, quando registrou 6,3, segundo o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)”.

No eixo Empreendedorismo, Goiânia subiu 12 posições na comparação 2019/2020 do estudo, ocupando a 18ª colocação no Ranking Connected Smart Cities. Se considerado o recorte regional, a cidade está na 3ª colocação e por porte na 15ª posição.

“Contrariando a tendência da época da coleta dos dados da última pesquisa, Goiânia registrou crescimento empresarial entre as empresas de tecnologia de 9,1% em 2020, seguindo o avanço de 3% de 2019. Já em economia criativa houve um aumento de 2,4%. E dados da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) mostram a presença de 5 incubadoras, uma importante contribuição para o desenvolvimento de negócios inovadores”, disse.

O executivo reforça que Economia é outro eixo que se destaca na capital, mas que precisa continuar evoluindo e atingir melhor colocação no Ranking. No indicador, a cidade subiu 37 posições e ocupa a 56ª posição no Ranking Connected Smart Cities, 2ª no recorte de cidades do Centro-Oeste, ficando atrás apenas de Brasília, além da 22ª colocação em cidades com mais de 500 mil habitantes.

“O salto nas posições aconteceu em função da melhora de alguns indicadores, como o aumento na renda média dos trabalhadores formais que, segundo o RAIS, atingiu o valor de R$3.337. Já no indicador de Crescimento PIB per Capita, Goiânia passou de uma queda de -1,1% para 3,9% na última pesquisa. E, ainda, 5% dos empregos formais da cidade estão nos segmentos de Educação e pesquisa e desenvolvimento (P&D)”, ressaltou Rigon.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here