Tribuna Política | João Campos estaria arrependido da pré-candidatura ao Senado

0
294

O altar do Republicanos a notícia é de que o deputado federal João Campos teria se precipitado e está arrependido de ter trabalhado abertamente para ser candidato ao Senado pelo partido. Acontece que sua postura, automaticamente, abriu brecha para o colega de legenda Jeferson Rodrigues, que é deputado estadual, viabilizar candidatura a federal apoiado pelo grupo que sustenta Campos, principalmente o eleitorado da Igreja Universal. Os dois são pastores, Campos da Assembleia de Deus e Rodrigues, da Universal. Este se fortaleceu ainda mais após o irmão de igreja, e também do Republicanos, Rogério Cruz assumir a prefeitura de Goiânia. Segundo o membro do partido, ficaria difícil eleger os dois a federal caso Campos tenha que recuar do projeto ao Senado, por depender de articulações do partido. “Sabemos que o Republicanos não tem condições de lançar chapa majoritária, portanto, terá que compor com outra chapa. E, dependendo das forças dos outros partidos que vão junto com a que escolhermos, pode não sobrar a de senador. Resumindo, ele se empolgou com a ida de Rogério Cruz para a prefeitura e se precipitou”, diz o político do Republicanos.

Tem recursos?

Outro empecilho para o sonho de João Campos ascender ao Senado, segundo seu colega de partido, seria a falta de recursos financeiros, num cenário em que já se apresentam milionários como Henrique Meirelles (PSD), Alexandre Baldy (Progressistas) e Wilder Morais (PSC), ou Zacharias Calil (DEM) bancado pela estrutura governista.

Campo adversário

O deputado Lucas Calil (PSD) usou o Twitter para alfinetar o governador Ronaldo Caiado (DEM) pelo local da realização dos jogos da Copa América em Goiás. “Terá que aguentar o ex-governador Marconi [Perillo]. Afinal, o Estádio Olímpico (sede) foi reformado e entregue pelo ex-governador.”

Rebote

Marconi aproveitou a deixa para ressaltar em suas redes sociais a reconstrução do estádio, entregue por ele em 2016, a qual ele classificou como “referência no país”.

Briga para Braga

A depender das exigências que a família Bolsonaro fez às direções dos partidos para se filiarem, os comandos estaduais passarão para indicados do clã. Em Goiás, se o presidente for mesmo para o Patriota, Jorcelino Braga, ex-secretário da Fazenda, tende a ser substituído por Major Vitor Hugo, atualmente deputado federal pelo PSL.

Perdeu no TSE

O pesadelo de Braga ficou mais aterrorizante depois que, na quarta-feira, o minstro Edson Fachin, do TSE, negou pedido de ala do Patriota contrária à filiação de Bolsonaro, por entender que é a Justiça comum, e não TSE, que deve decidir o caso.

Tema nacional

Os presidentes regionais em Goiás Daniel Vilela (MDB) e Vilmar Rocha (PSD) foram a São Paulo na semana passada e cumpriram, separadamente, praticamente a mesma agenda. Visitaram Michel Temer e Gilberto Kassab, que tentam viabilizar com os partidos, uma candidatura de centro para enfrentar Bolsonaro e Lula. Portanto, pouco deve ter se falado sobre a política goiana.

 

DE VOLTA PARA O TOCANTINS > É do deputado federal José Nelto (Podemos) a proposta de lei que inclui os municípios de Novo Planalto, Montividiu do Norte, Porangatu e São Miguel do Araguaia na área de investimentos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). A justificativa é “a notória ligação cultural, estrutural e econômica dos municípios com os da região sul do Tocantins, que são agraciados por condições fiscais e de captação de recursos mais vantajosas”.

Garganta

O núcleo político estratégico de Rogério Cruz determinou que secretários e todos os porta-vozes da administração devem ressaltar veementemente que tudo que está sendo feito pela prefeitura é de acordo com o plano de governo apresentado na campanha.

Escondidos

Nacinalmente, o Novo se colocou como terceira via ao lançar o nome de João Amoedo à Presidência da República, sabendo que a polarização será entre o ex-presidente Lula e o atual, Jair Bolsonaro. Enquanto isso em Goiás, MDB não se define como oposição, e o PSDB não quer ser terceira via.

Redes sociais

Costumeiramente entre os líderes, o senador Jorge Kajuru (Cidadania) ficou em 6º lugar no ranking FSBinfluênciaCongresso de senadores mais influentes nas redes, na semana entre 25 e 31 de maio. Os outros dois goianos não apareceram entre os 15 mais.

Sem pequi

Entre os TOP 20 da Câmara dos Deputados, nenhum dos 17 goianos figurou na lista, no levantamento feito no mesmo período. A campeã foi Carla Zambelli (PSL-SP).

Mala e cuia

O governo de Goiás ficou no restringe, não restringe até a véspera do feriadão, quando as vagas da rede hoteleira já estavam quase todas reservadas, e os turistas com a viagem programada.

Gol contra

Se por um lado havia o aumento de casos de contaminação e internação por Covid-19 em todas as regiões do estado, por outro a aceitação de jogos da Copa América em Goiás pesaria politicamente em desfavor do governo, em relação ao setor turístico, caso aumentasse as restrições.

Sobe, mas como sobe

O óleo de soja foi o produto que mais subiu de preço no último ano: 82%, segundo o IBGE. Mais que o dobro da gasolina, 35%. Na abertura da safra 20/21 do grão, a colheita estimada em Goiás foi de aproximadamente 14 milhões de toneladas.

1 Maio

A Assembleia Legislativa realizou no mês de maio nove sessões ordinárias com quórum qualificado para votações. O resultado? 33 processos foram apreciados e 16 aprovados em definitivo.

2 Menos

Do total, cinco foram de autoria do Poder Executivo, sendo três projetos de lei e dois vetos. De iniciativa parlamentar foram votados, em definitivo, 11 projetos de lei.

3 Professores

O mais polêmico foi o PL nº 4983/21, do governo, que modifica o Estatuto e o Plano de Cargos e Vencimentos do Magistério, e acaba com o pagamento de horas extras aos professores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here