Improviso para substituir gás de cozinha causa acidentes graves

Preço alto tem feito população buscar alternativas no preparo de alimentos

0
182
Foto: Internet

No início de setembro o reajuste de 7% no preço do gás de cozinha começou a valer para o consumidor. Desta vez, o incremento no custo do produto não partiu da Petrobras, mas sim das distribuidoras. A medida foi adotada com o intuito de recompor as perdas decorrentes da inflação. Em agosto, a Petrobras já tinha reajustado o valor do gás em 7%. No ano, o botijão de gás acumula alta de 38%.

Com esse aumento no preço, muitos brasileiros, sem poder comprar o botijão, voltaram a cozinhar com lenha. Essa alternativa é prejudicial à saúde, pois com o fogão a lenha várias famílias têm utilizado para cozinhar alimentos, o álcool.

Como exemplo, somente no ano de 2021, em Goiás, quatro famílias já sofreram acidentes ao utilizarem álcool para cozinhar, uma pessoa morreu. No dia 2 de julho, Stive Daves Alves dos Santos, de 33 anos, teve 50% do corpo queimado após sofrer um acidente enquanto cozinhava utilizando álcool em sua casa no bairro Jardim Bela Vista, em Goiânia. O homem teve queimaduras no rosto, braços e tórax. Ele chegou a ser internado, porém morreu cinco dias após o acidente.

Em julho, Yasmim Freire Silva, de 21 anos, relatou que sofreu queimaduras no corpo ao acender um fogareiro de lata improvisado, em Catalão, região sudeste do estado. Ela disse que estava sem gás há mais de uma semana, e que buscou “outra alternativa para poder cozinhar”. A moça, que teve queimaduras na mão, perna e costas, foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Catalão.

No final de agosto, na cidade de Abadia de Goiás, Wiviane Lima, de 23 anos, também sofreu um acidente quando um galão com álcool explodiu em sua mão quando ela tentava cozinhar. A mulher foi socorrida e levada para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia. Ela teve várias partes do corpo queimadas e precisou passar por duas cirurgias.

Uma família inteira atingida

No dia 7 de agosto, em Anápolis, membros de uma mesma família sofreram queimaduras por todo o corpo ao tentarem cozinhar feijão em um fogão de fabricação caseira utilizando álcool, por não terem dinheiro para comprar um botijão de gás.

Benta Maciel Correa, o marido dela, Israel Rosa, e uma sobrinha do casal, de 10 anos de idade, ficaram feridos e precisaram ser internados por 20 dias, no Hospital de Queimaduras de Anápolis. “Só lembro que o fogo pegou primeiro no meu cabelo. Minha sobrinha, que passava perto da gente, também se queimou. Eu e meu esposo ficamos na UTI”, relatou Benta.

Benta contou que a família estava comemorando o aniversário de seu cunhado, na casa do mesmo. Ela relata que só faltava cozinhar o feijão, porém não tinham dinheiro para comprar um botijão de gás, por isso tentaram cozinhar utilizando álcool. Quando Benta colocou fogo no papel, o galão com álcool que o marido segurava explodiu deixando o marido, a sobrinha e ela feridos, e atingindo parte da casa.

“Era aniversário do meu cunhado, não tinha botijão de gás, só faltava cozinhar o feijão. Meu marido estava com o galão de álcool na mão, quando coloquei o fogo com o papel e o galão explodiu”, contou Benta.

Riscos à saúde

Além das queimaduras, um dos riscos à saúde causados pelo fogão a lenha, principalmente improvisado, são os prejuízos às vias respiratórias e doença pulmonar obstrutiva crônica. A inalação da fumaça pode prejudicar as vias respiratórias e causar doença pulmonar obstrutiva crônica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here