Com investimento da Fapeg, UFG inaugura supercomputador

O custo é de R$ 1,4 milhão - adquirido pela Fapeg em associação com recursos da PGE, que desenvolve projetos de inovação com o Ceia. Considerado o servidor de IA mais rápido do mundo, equipamento irá auxiliar com projetos de automação de textos jurídicos, sintetização de voz artificial e reconhecimento de fala

0
314
São R$ 7 milhões para bolsas de estudo, R$ 4 milhões em capital e R$ 1 milhão em custeio. Foto: Divulgação

A Universidade Federal de Goiás (UFG), instituição responsável por criar o primeiro curso superior de bacharelado em inteligência artificial (IA) do Brasil, inaugura a nova infraestrutura de tecnologia, focada em executar projetos de IA para pesquisa e indústria, nesta quinta-feira, 21. O Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia) da UFG apresenta, às 10 horas, o NVIDIA DGX A100, sistema universal para todas as cargas de trabalho de IA.

O supercomputador tem poder de processamento equivalente ao de aproximadamente 100 mil computadores convencionais (que as pessoas possuem em casa ou no escritório). É o servidor de IA mais rápido do mundo. O equipamento irá auxiliar com projetos de automação de textos jurídicos, sintetização de voz artificial e reconhecimento de fala.

O Ceia é a primeira instituição (seja pública ou privada) na América Latina a utilizar a versão inédita deste computador, que teve custo de R$ 1,4 milhão – adquirido com investimento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), do Governo de Goiás, em associação com recursos da Procuradoria Geral do Estado de Goiás (PGE), que desenvolve projetos de inovação com o Ceia.

“Atualmente é difícil imaginar fazer IA de ponta sem o uso de GPUs potentes e modernas como a NVIDIA A100. Nós temos vários projetos que estavam aguardando a chegada deste equipamento. A DGX será utilizada 24 horas por dia, 365 dias por ano. Foi instalada com toda a sua capacidade comprometida até meados de 2023. Esperamos processar algo em torno de 20Tb de dados por mês”, comenta Anderson Soares, coordenador do Ceia e diretor do curso de Redação de IA na UFG.

Comparando os resultados obtidos com equipamentos antigos, o investimento em uma versão anterior da GPU (uma DGX-1), que ocorreu em 2017, trouxe um retorno direto de aproximadamente oito vezes do valor investido. No caso da DGX-A100, já foram fechados contratos que arrecadaram um valor superior ao que foi investido. Pelas estimativas da UFG, até o final de 2022 o retorno será recorde.

“Esse é um grande passo para a comunidade científica, acadêmica e empresarial. É uma conquista que visa desenvolver e testar ideias inovadoras sobre IAs, algo que não seria possível sem esse tipo de equipamento. Nós, da NVIDIA, ficamos muito felizes em fazer parte desse desenvolvimento nacional”, conta Marcio Aguiar, diretor da divisão Enterprise da empresa para América Latina.

Investimento

Por meio de parceria via Fapeg, o Governo de Goiás vai investir, até 2025, R$ 12 milhões no Ceia. São R$ 7 milhões para bolsas de estudo, R$ 4 milhões em capital e R$ 1 milhão em custeio. O Ceia, inclusive, desenvolve projetos diversos para o Governo de Goiás, como o acompanhamento fiscal para evitar evasão de receita para a Secretaria de Economia.

O Ceia funciona no Instituto de Informática da UFG, no Campus Samambaia (Chácaras Califórnia). Atualmente, 33 empresas têm contratos de projetos de inovação com o Centro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here