Governo de Goiás promove semana de prevenção ao AVC

Ações alertam para prevenção e diagnóstico precoce da doença que é a segunda causa de morte no mundo e serão abertas pela SES neste sábado, a partir das 10h, no Shopping Cerrado, em Goiânia

0
259
Foto: Divulgação

O acidente vascular cerebral (AVC) é a segunda causa de morte no mundo e a primeira causa de incapacidade. De acordo com dados do Ministério da Saúde, somente em 2017, foram registradas 101,1 mil mortes decorrentes da doença. Em Goiás, o número de óbitos, em 2018, foi de 1.444; em 2019, subiram para 1.559, totalizando 3.003 mortes, de acordo com o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS).

Para informar a população sobre a prevenção do AVC e os sinais e sintomas que auxiliam na identificação precoce da doença, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), organizou uma série de atividades ao longo da próxima semana. A programação está direcionada para diferentes públicos, incluindo profissionais de saúde, a fim de conscientizar sobre o problema. ​

Na próxima terça-feira, 26, a  SES realizará uma ‘Live’ Falando de AVC, com orientações de quando suspeitar, o que fazer e como prevenir da doença. A transmissão será feita pelo facebook da pasta, a partir das 19h.

“Fazemos um alerta sobre esse agravo, já que mudanças de hábitos podem prevenir, e o atendimento em tempo hábil evita sequelas. Dessa forma, é importante que a população e as pessoas que trabalham em unidades de saúde saibam os sintomas que podem ocorrer nos primeiros momentos”, explica a coordenadora-geral de Redes de Atenção da SES-GO, Paula dos Santos Pereira. Ao identificar os primeiros sintomas, a orientação é para procurar uma unidade de saúde imediatamente.

Prevenção
O impacto gerado pelo AVC em todo o sistema de saúde é significativo, e há diversas maneiras de prevenir e proporcionar assistência em tempo hábil, para diminuição de sequelas. O Ministério da Saúde recomenda como hábitos preventivos: não fumar, não consumir álcool, não fazer uso de drogas ilícitas, manter alimentação saudável e o peso ideal, beber bastante água, praticar atividades físicas regularmente e manter a pressão e a glicose sob controle.

A Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares pontua que cerca de 70% das pessoas acometidas pelo AVC não conseguem ter condições de retomar às atividades profissionais, em decorrência das sequelas. Metade dos pacientes perde autonomia e precisa de cuidadores para realizar tarefas diárias. As maiores taxas de óbitos estão entre homens com idade entre 70 e 79 anos, e mulheres com idade entre 80 e 89 anos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here