Goiás em alerta depois da 4ª onda de Covid na Europa

De acordo coma superintendente de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás, Flúvia Amorim, é preciso melhorar a cobertura vacinal para evitar o aumento dos casos

0
165
A Europa registrou um aumento de 5% de mortes associadas à Covid-19, segundo a OMS. Foto: Antonio Cartoni

Dhayane Marques 

Os casos de covid-19 no Brasil estão controlados, de acordo com o Painel do Coronavírus no Brasil, disponibilizado pelo Ministério da Saúde. O país acumula 612,370 milhões de óbitos pela doença desde o início da pandemia, mas a média móvel de mortes caiu 91,7%, e se mostra estável. A média em Goiás ficou em – 68% da média nos últimos sete dias. 

Com o cenário epidemiológico bem mais equilibrado, algumas medidas de restrições sanitárias têm sido suspensas, mas o novo surto da doença na Europa coloca o estado em estado de alerta sobre a possibilidade de uma quarta onda. O Ministério da Saúde tem reforçado a importância de os brasileiros aptos a completarem o esquema vacinal voltarem ao posto de vacinação para receberem a segunda dose. De acordo com o painel, até o momento, mais de 21 milhões de pessoas não concluíram o esquema vacinal.  

Segundo a última atualização feita pelo Ministério Saúde, nesta sexta-feira, 19, já foram aplicadas 300.355.619 doses. Ao todo, 157.686.947 pessoas receberam a primeira dose e 129.895.868 a segunda dose ou dose única. A cobertura vacinal no Brasil atingiu os 73,3%. 

Na última semana, alguns países pelo mundo voltaram a ligar um sinal de alerta para a doença, principalmente na Europa, que está com o número de casos de Covid-19 aumentando. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima um aumento de 5% de mortes associadas ao coronavírus na Europa. Com isso, o continente europeu se tornou o epicentro da doença, com 60% dos casos, segundo a OMS. 

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás, Flúvia Amorim, é preciso melhorar a cobertura vacinal para que não ocorra uma quarta onda de Covid-19. “Estamos observando muito o que tem acontecido na Europa e avaliando essa situação, e o que temos visto até o momento é que os países que estão com aumento de internações e óbitos são países com baixa cobertura vacinal”, aponta Amorim. 

De acordo com a superintendente, para garantir que o contágio não volte a acelerar é necessário que as pessoas continuem usando máscaras e permaneçam com a medidas de higiene. “Com as melhoras dos números de casos da doença existe essa falsa perspectiva que a pandemia está controlada e que acabou, mas na verdade precisamos que essa população se vacine”, disse Flúvia Amorim ao reforçar que, se não houver a cobertura mínima vacinal, teremos o mesmo resultado da Europa.  

Segundo Amorim, a expectativa da SES é que até o final do ano o estado melhore a cobertura vacinal. Com a chegada das festas de fim de ano e com a flexibilização do comércio, a maioria das pessoas tem abandonado o uso de máscaras. É aí que mora o perigo. Hoje, Goiás tem 53% da população completamente vacinada contra a covid-19. “Temos doses, mas não temos procura”, afirma a superintendente de Vigilância e Saúde da SES. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here