skip to Main Content

Brasília: Gayer e Sylvie protagonizam discussão em sessão da Câmara

Jornalista acusou bolsonarista de fake news


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 15/05/2024 - 10:38

Silvye Alves e Gustavo Gayer (Foto: Reprodução)

Os deputados federais Silvye Alves (União Brasil) e Gustavo Gayer (PL) protagonizaram um bate-boca com direito a empurra-empurra durante sessão da Câmara dos Deputados, na noite desta terça-feira (14). O parlamentar que é pré-candidato à Prefeitura de Goiânia foi acusado pela jornalista de disseminação de fake news e a partir daí, o alvoroço teve ínicio.

Silvye Alves utilizou a tribuna para confrontar o colega sobre um vídeo em que ele a acusa de votar a favor de um projeto que, supostamente, aumentaria o valor da mensalidade de serviços como a Netflix. “Deputado Gustavo Gayer, o senhor, que ama espalhar fake news, vou lhe dizer uma coisa muito sincera: tu encontrou uma mulher à tua altura, meu filho”, declarou Silvye.

Apontando para Gayer, ela continuou: “Este cara acabou de mentir para todo o estado de Goiás dizendo que eu votei a favor de aumentar a Netflix”. Silvye negou veementemente a acusação: “Isto não aconteceu. Isto é uma fake news. Em agosto do ano passado, era um projeto completamente diferente, Gustavo Gayer. Aprenda a dizer a verdade”.

A parlamentar ainda pediu que Gayer parasse de gravar vídeos para suas redes sociais e respeitasse aqueles que trabalham pelo povo. Foi necessário que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), tentasse intervir, mas Silvye concluiu suas palavras antes que seu microfone fosse desligado.

Gayer, com um celular em mãos, dirigiu-se até Silvye, afirmando que queria abraçá-la. A deputada tentou pegar o aparelho, o que gerou tumulto. “Vai tomar o meu celular? Vai me agredir?”, indagou Gayer, registrando a cena em vídeo. “A Silvye tentando me agredir aqui, presidente, presidente”, relatou ele enquanto Silvye era aconselhada a se afastar.

Gayer chamou a colega de “mulher louca, louca, louca” e ironizou: “Tentei dar um abraço, mas ele não quer. Falta amor na vida dessa pessoa”. Não foi a primeira vez que ambos protagonizaram um embate. Em 2022, no começo do ano legislativo, Gayer expôs o voto de Silvye a favor da PEC da Esplanada, que aumentava o número de ministérios no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O bolsonarista insinuou eu a jornalista traiu a direita por votar junto com o governo.

Entre outras coisas, Silvye justificou que não fazia parte da base de sustentação ao governo petista e disse que o seu objetivo era a recriação do Ministério da Mulher, extinto durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Ela também subiu o tom, acusando Gayer de diversos crimes.