skip to Main Content
Para o MP, Igor Porto Galvão matou a companheira por motivo fútil, utilizando de meio cruel e mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima