skip to Main Content

Bruno Peixoto “teve que dar entrevista dizendo que não é candidato”, diz deputado

Parlamentares de dividem sobre viabilidade de candidatura mas é consenso que o desejo não passou


Luís Gustavo Rocha Por Luís Gustavo Rocha em 18/01/2024 - 21:44

Uma fonte é categórica ao afirmar que, em novembro, durante a missão oficial para a China, “o governador já tinha dito ao Bruno que ele não era o candidato”. O mesmo político também acredita ser difícil reverter a notícia dada, nesta semana, de que o presidente da Assembleia Legislativa recuou da movimentação que vinha fazendo para ser o candidato de Ronaldo Caiado. “Quem manda é o governador e é difícil convencê-lo”, completa.

“Quando o delegado Waldir fez aquela declaração, Bruno se sentiu ofendido porque não estava fazendo um enfrentamento”, conta um deputado estadual em condição de anonimato. Segundo o parlamentar, os convites feitos ao aliado do governador para disputar a eleição em outro partido, feitos em reação à fala do presidente do diretório metropolitano do União Brasil na entrevista concedida à Tribuna do Planalto, “foram recebidos como provocação pelo Palácio”.

Outro parlamentar comenta que Peixoto “teve que dar entrevista dizendo que não é candidato”. A coluna informou nesta quarta-feira que Bruno teria recebido um telefonema do próprio governador, antes do procedimento cirúrgico a que foi submetido em São Paulo.

Apesar da sequência de acontecimentos, colegas da Casa sustentam que Bruno não desistiu do jogo. Para o deputado estadual Gugu Nader (Agir), houve “falha de comunicação” e o presidente é “candidatíssimo”. Já o deputado Amilton Filho (MDB) entende que Peixoto “tem o desejo no coração mas não vai fazer nada à revelia do governador”. A leitura de outra fonte é a de que Peixoto “suspendeu até segunda ordem” a movimentação para viabilizar a pré-candidatura.