skip to Main Content

Goiás deve colher 26,7 milhões de toneladas de grãos

Por Redação - 16/06/2020

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Goiás segue a curva de crescimento da produção de grãos, superando os níveis nacionais, inclusive. E além da expectativa de recorde na produção de grãos, sobretudo de soja e milho, o Estado tem diversificado sua pauta de produção, registrando crescimento na produção de outras culturas, como arroz, feijão e sorgo. Os dados estão no 9º Levantamento da Safra 2019/2020 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgados dia 9 de junho.

Enquanto o Brasil confirma o crescimento recorde da produção de grãos, com produção estimada em 250,5 milhões de toneladas e aumento de 3,5% em relação à safra 2018/2019, Goiás deve colher 26,7 milhões de toneladas, com aumento de 8,7% em relação à safra anterior. O Estado tem ainda percentual de crescimento superior à da região Centro-Oeste, que está estimada em 8,6%, e 120,8 milhões de toneladas colhidas.

A produção de soja no Estado deve ser de 12,4 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 9% em relação à safra passada, e que confirma o Estado como terceiro maior produtor nacional. Ainda em relação ao grão, a produtividade cresceu 6,9% e registrou 3.516 quilos por hectare. Já o milho, cuja produção está estimada em 12,2 milhões de toneladas, também segue com crescimento em relação à safra 2018/2019, com 6,8%, também alçando o Estado a terceiro maior produtor nacional.

O arroz também teve crescimento na produção, com aumento de 6,9% e estimativa de 120,4 mil toneladas. A produtividade do grão cresceu 7,9% e gira em torno de 5.329 quilos por hectare, segundo os dados da Conab. Já o feijão, cuja produção está prevista em 320,7 mil toneladas, registra crescimento de 5,4% na produção e 2,9% na produtividade, que foi de 2.385 quilos por hectare. O sorgo, do qual o Estado é o maior produtor nacional, teve acréscimo na produção de 35,1%, com estimativa de 1,33 milhão de toneladas colhidas.

De acordo com a Conab, com a colheita finalizada praticamente em todas as culturas de primeira safra, e as de segunda em andamento, o que falta agora é a conclusão do plantio das culturas de inverno e os números resultantes da terceira safra. Além disso, será necessário observar o comportamento climático, que pode influenciar na produtividade destas culturas.

Para o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, o crescimento da produção de outras culturas, não somente da soja e do milho que já são tradicionalmente muito fortes no Estado, revelam uma diversificação cada vez maior do setor agropecuário estadual.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top