skip to Main Content

Programa Alfabetização e Família oferece vagas para jovens e adultos

Iniciativa do Goiás Social visa reduzir o analfabetismo funcional entre pessoas com 15 anos ou mais; estudantes ganham uniforme, material e livros didáticos


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 20/03/2024 - 14:11

Lançado em 2021, o programa Alfabetização e Família já alcançou mais de 100 municípios (Foto: Seduc)

Quem não recebeu a oportunidade de frequentar a escola quando criança tem uma segunda chance de aprender com o programa Alfabetização e Família, do Governo de Goiás. A iniciativa oferece cursos gratuitos para jovens e adultos com 15 anos ou mais, inclusive idosos, e está com vagas abertas para o ano letivo de 2024 nos 246 municípios goianos.

O programa funciona com recursos do Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Fundo Protege) e dentro do Goiás Social, sob coordenação da primeira-dama Gracinha Caiado. “Saber ler e escrever é um direito de todo cidadão, mas, infelizmente, muitos passam a vida toda sem conseguir acessar esse direito. Com esse programa, garantimos mais dignidade e autonomia a milhares de goianos em vulnerabilidade por meio da educação”, destaca.

A meta da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) é reduzir em 50% a taxa de analfabetismo funcional até o final do próximo ano, conforme estabelece o Plano Nacional de Educação (PNE) para o período de 2015 a 2025. Ou seja, o objetivo é melhorar os conhecimentos daquelas pessoas que até conseguem reconhecer letras e números, mas têm dificuldades de interpretar mesmo conteúdos simples.

O curso tem duração de quatro a seis meses e as aulas duram duas horas diárias. Neste ano, o investimento feito no programa será de R$ 4,2 milhões. Para estimular os estudantes, o Estado entrega kits de uniformes, materiais escolares e ainda os livros didáticos. Os interessados devem procurar uma das Coordenações Regionais de Educação, munidos de documentos pessoais, e fazer a inscrição.

Vagas
Lançado em 2021, o programa Alfabetização e Família já alcançou mais de 100 municípios. Este ano, entra em sua quarta etapa, com previsão de abertura de 600 novas turmas, de forma a atender até 6 mil alunos. As 40 primeiras turmas já foram formadas e estão frequentando as aulas desde o início do mês. “Oferecemos educação para as pessoas cuja oportunidade não passou na hora certa. É uma educação para o adulto, que faz sentido na vida dele”, explica a secretária da Educação, Fátima Gavioli.