skip to Main Content

Capina do Largo de Santa Efigênia é patrimônio cultural e imaterial goiano

Por Redação Tribuna do Planalto - 20/07/2022

Foto: OFMConv-Notícias

Foi sancionada pelo governador Ronaldo Caiado (UB) a Lei Estadual nº 21.469 (originalmente projeto de lei nº 4475/21), de autoria do deputado Coronel Adailton (PRTB), que visa reconhecer a Capina do Largo de Santa Efigênia como patrimônio cultural e imaterial goiano.

Em justificativa, o parlamentar explica que o evento se trata de manifestação secular “carregada de religiosidade, cultura e gastronomia de tradição”. A comemoração integra os festejos das Congadas de Santa Efigênia no município de Niquelândia, no Norte goiano.

A capina é uma limpeza de toda vegetação da Igreja de Santa Efigênia e marca uma tradição de mais de 250 anos, quando, ainda no período da Escravidão, homens e mulheres reuniam-se para fazer o mesmo. A iniciativa virou tradição e está enraizada no cotidiano do povo niquelandense.

Ainda hoje, os descendentes dos escravizados mantém viva a tradição em devoção à Santa Efigênia, sempre no dia 24 de junho. Neste dia, logo cedo, os fiéis chegam carregando suas enxadas e adentram a igrejinha para rezar a missa. Logo depois a multidão se põe à limpeza do Largo de Santa Efigênia. Os homens fazem o trabalho da capina e as mulheres, jovens e crianças se encarregam de juntar o mato.

“O encerramento da cerimônia acontece com as comidas de tradição ofertadas pelos moradores, cada um traz um prato. Uma farta mesa é servida a todos os participantes, onde o Biscoito Fervido e o Quebrador em Flor aparecem com destaque, pois falam da identidade gastronômica de Niquelândia. “Não se tem notícias de que esse modo de celebração aconteça em outras partes do Estado de Goiás e até de outros territórios”, anota a justificativa da matéria.

Back To Top