skip to Main Content

Falta de candidatura própria na capital enfraquecerá PSD para 2026, avalia Vilmar Rocha

Atual presidente estadual do partido, Vanderlan Cardoso pode abrir mão de se lançar na disputa a prefeito de olho no governo


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 10/01/2024 - 18:42

Por: Luís Gustavo Rocha

Um dos fundadores PSD, o ex-deputado federal Vilmar Rocha, que passou o bastão do comando da sigla em Goiás para o senador Vanderlan Cardoso há pouco mais de sete meses, é taxativo na defesa de um projeto de candidatura própria na capital. Sustenta a tese de que qualquer partido relevante tem que ter candidato em Goiânia e faz a afirmação reagindo às especulações de que Vanderlan estaria disposto a abdicar da disputa para prefeito, em 2024, em troca de apoio nas próximas eleições para governador.

“Se o partido não tiver candidato próprio, fica enfraquecido para 2026.” E Vilmar pontua que não se trata de posicionamento retórico. Em 2016, quando fazia parte do secretariado de Marconi Perillo, o PSD bancou Francisco Júnior na campanha para prefeito enquanto o governador apoiava Vanderlan Cardoso, então no PSB.

Vilmar lembra ainda que, para cumprir as diretrizes fixadas pelo partido, em 2022, após a desistência de Henrique Meirelles e de Lissauer Vieira, foi para o sacrifício “para não romper com o compromisso”.

Exemplos do passado à parte, uma fonte próxima ao senador assegura que, sim, há chances de Vanderlan não ser candidato em 2024. “A força no governo é o Caiado, e ele estará fora da disputa em 2026. Isso abre todas as possibilidades.”