skip to Main Content

Mabel critica venda de terrenos e sugere polos empresariais em Goiânia

Projeto da prefeitura busca vender 48 áreas públicas


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 24/05/2024 - 14:24

Sandro Mabel, pré-candidato a prefeito de Goiânia e presidente da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg) (Foto: Divulgação)

O pré-candidato a prefeito de Goiânia, Sandro Mabel (União Brasil), criticou o projeto da Prefeitura de vender 48 áreas públicas da cidade, que deve arrecadar R$ 342 milhões para pagar precatórios. Ele argumenta que é necessário um planejamento que promova o desenvolvimento local, sugerindo que essas áreas sejam utilizadas para criar distritos empresariais, especialmente em regiões carentes.

Mabel propõe trocar terrenos valiosos por maiores em áreas menos desenvolvidas, como o Noroeste de Goiânia, para implantar polos empresariais que gerem empregos e desenvolvimento. 

Ele menciona que isso melhoraria a qualidade de vida ao criar vagas de trabalho próximas às residências, reduzindo o trânsito e incentivando o crescimento econômico local.

O pré-candidato já está analisando áreas públicas para esse propósito e planeja buscar parcerias com o Senai para formação de mão de obra qualificada para as novas indústrias.

Ele critica a transformação de Goiânia em uma “cidade dormitório”, com moradores trabalhando em outras cidades, e defende a criação de pequenos polos industriais para aumentar o emprego e a renda na capital.