skip to Main Content

Um terço dos deputados estaduais se posiciona como pré-candidato

Alguns parlamentares se apresentam francamente como pré-candidatos e outros deixam que seus nomes sejam especulados


Carla Borges Por Carla Borges em 04/02/2024 - 00:03

Eleições deste ano provocam movimentações na Assembleia Legislativa de Goiás. Foto: Maykon Cardoso

Um terço dos deputados estaduais em Goiás atua como pré-candidato a prefeito nas eleições deste ano. Por enquanto, alguns parlamentares se apresentam francamente como pré-candidatos e outros deixam que seus nomes sejam especulados na cobertura política, numa espécie de “teste político-eleitoral”.

Em Goiânia, trabalha para ser candidato da base do Governo o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado Bruno Peixoto (UB). Mesmo tendo sinalizado a possibilidade de desistir, Bruno tem pontuado nos levantamentos de opinião com o eleitorado goianiense.  

O deputado Renato de Castro (UB), impedido por seu partido (à época, o MDB) de concorrer à reeleição em 2020, agora tenta voltar à Prefeitura de Goianésia.

Dra. Zeli (UB), que foi eleita deputada pelo PRTB, é cotada para ser candidata a prefeita em Valparaíso de Goiás. Ela já foi vice-prefeita do município de 2017 até fevereiro 2023, quando assumiu o mandato de deputada.

Amauri Ribeiro (UB) já afirmou que foi sondado para concorrer à Prefeitura de Trindade, mas declarou que vai apoiar a reeleição do prefeito Marden Junior, do mesmo partido. Se Amauri resolver disputar – e vencer – a eleição para a prefeitura, sua cadeira no Parlamento seria ocupada pelo suplente – os três primeiros do UB são Rubens Marques, Álvaro Guimarães e Dr. Antônio.

Ex-prefeito de Santa Bárbara de Goiás e de Trindade, o deputado Dr. George Morais (PDT) se declara pré-candidato ao Executivo trindadense, o qual ele comandou de 2001 a 2008. O suplente pedetista na Alego é o vereador Marinho Câmara.  

Em Rio Verde, o deputado Karlos Cabral (PSB) confirma que é pré-candidato a prefeito. O primeiro suplente do PSB é o vereador Willian Panda.

Em Itumbiara, o deputado Gugu Nader (Agir) já disse várias vezes que deve ser candidato a prefeito.

Rosângela Rezende (Agir) pode disputar a prefeitura de Mineiros, repetindo as trajetórias do seu pai, Agenor Rezende, e de sua mãe Laci. Os suplentes do Agir são Fellipe Eduardo Faria Fonseca e Gilmar Alves.

Em Anápolis, o deputado Antônio Gomide (PT) é pré-candidato a prefeito – ele comandou o Executivo anapolino de 2009 a 2014. Os dois primeiros suplentes do PT na Alego são Fabrício Rosa e a vereadora Kátia Maria. Também em Anápolis, o deputado Amilton Filho (MDB) pode ser candidato ou, então, ceder a vez para o suplente de deputado federal Márcio Correa (MDB). 

Em Inhumas, Lucas Calil (MDB) pode sair candidato. Os suplentes do MDB na Alego são, pela ordem: Thiago Albernaz, Francisco Oliveira e Henrique Arantes. 

A disputa pela Prefeitura de Catalão pode envolver dois parlamentares estaduais. O deputado Gustavo Sebba (PSDB) é pré-candidato ao Executivo e deve ter como adversário o ex-prefeito Velomar Rios ou o colega de Parlamento Jamil Calife (PP). A suplente de Gustavo é Eliane Pinheiro (PSDB) e o suplente de Jamil é o vereador Magrão da Rádio Clube (PP). 

Datas

Vence no dia 5 de abril, uma sexta-feira, o prazo para candidatos mudarem de partido político ou transferirem domicílio eleitoral mirando a eleição de 2024. Após o período do alistamento, a Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) determina que nenhum requerimento de inscrição eleitoral ou de transferência seja recebido dentro dos 150 dias anteriores à data da eleição. Portanto, a partir de 9 de maio, o cadastro estará fechado. 

Pré-candidatos poderão iniciar a campanha de arrecadação prévia de recursos na modalidade de financiamento coletivo a partir de 15 de maio de 2024. No entanto, não poderão ainda fazer pedidos de voto. Já as convenções partidárias para deliberar sobre coligações e escolher candidatos às prefeituras e vereadores poderão ser realizadas entre 20 de julho e 5 de agosto de 2024. 

Conforme ocorre desde a eleição de 2016, a propaganda gratuita no rádio (e de TV, nos municípios onde houver) será exibida nos 35 dias anteriores à antevéspera do primeiro turno. Dessa forma, a exibição deverá começar em 30 de agosto e se encerrará em 3 de outubro.

De acordo com o calendário eleitoral divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a data de 6 de outubro está reservada para a realização do primeiro turno das eleições para prefeito e vereador em 2024. Nos municípios onde há possibilidade de segundo turno, a eleição será realizada no dia 27 de outubro, último domingo do mês.