skip to Main Content

Caiado coloca segurança pública no centro do debate político do País

Caiado tem ocupado os principais espaços de debates sobre medidas que possam frear avanço do narcotráfico e a escalada de organizações criminosas no Brasil


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 16/06/2024 - 09:57

Caiado participou do Fórum Esfera Nacional – Conexões para discutir o Brasil, no Guarujá (SP), realizado no último sábado (8) (Foto: Divulgação)

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) tem se notabilizado como um dos principais nomes da
política nacional quando o assunto é segurança pública. A substancial queda dos índices de
criminalidade em Goiás tem credenciado o líder goiano a ser convidado para debates sobre o tema em
diversos eventos pelo Brasil. Na última semana, o líder do União Brasil participou de congressos nas
cidades de Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Guarujá (SP) e Brasília (DF).

Desde 2019, todas as modalidades de violência registraram queda em Goiás. Os índices mostram
redução nos roubos e furtos a cargas, transeuntes, residências, comércios e veículos, além do declínio
de crimes contra a vida, como feminicídio e homicídios dolosos. Já o crime de roubos a bancos,
conhecido como “novo cangaço”, não é registrado em Goiás desde 2021.

No sábado (8), Caiado participou do Fórum Esfera Nacional – Conexões para Discutir o Brasil, no
Guarujá (SP). Ao lado de outros líderes estaduais e especialistas em Segurança Pública, o governador
demonstrou os resultados que Goiás tem alcançado na área. “A população goiana vive em paz,
transitando sem medo e sem ter um metro quadrado comandado por bandido ou facção. A nossa polícia
está preparada para salvar e proteger as pessoas”, disse Caiado.

Durante participação no Seminário Internacional sobre Segurança Pública, Direitos Humanos e
Democracia, outro evento realizado, dessa vez, em Brasília (DF), na última quinta-feira (06/06), ao
replicar fala do secretário Nacional de Segurança Pública, Mário Luiz Sarrubbo, Caiado foi enfático ao
repudiar a obrigação de uso de câmeras por policiais, o que entende ser uma inversão de prioridade.
Para o governador, quem precisa ser monitorado é o bandido e não o policial.

“Com todo respeito ao secretário, eu não vou botar câmera em policial. Quem tem de ter câmera é quem
está no semiaberto, quem usa tornozeleira e quem está dentro das penitenciárias”, afirmou. “O que
devemos é ampliar o trabalho de uma corregedoria austera”, pontuou. No debate, o governador
demonstrou para o secretário que a pauta de Segurança Pública do governo federal está equivocada.
A atuação de Ronaldo Caiado e sua abordagem sobre segurança pública têm chamado a atenção até
de expoentes da esquerda, que, ainda que não explicitamente, corroboram o discurso de Caiado e
admitem que as organizações criminosas devem ser tratadas como “inimigas do povo brasileiro”, tal
como prega o governador goiano. Nesse sentido, o governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT), avalia
que a esquerda não pode mais achar que a injustiça social seja o único motivo da violência urbana.

Protagonismo
O governador de Goiás se notabiliza como um dos principais nomes da direita brasileira e já assumiu
que pretende se colocar como opção do União Brasil para disputar a presidência da República em 2026.
O governador de Goiás avalia que o eleitorado majoritário no Brasil hoje é conservador nos costumes e
liberal na economia, características da política que ele defende desde 1986, quando iniciou na vida
pública.

Caiado sustenta que não há diferença entre o seu eleitorado e o eleitorado do ex-presidente Jair
Bolsonaro (PL) – que não poderá concorrer nas próximas eleições, em virtude de inelegibilidade decretada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – e que, portanto, vai trabalhar para ter o apoio do ex-
presidente numa eventual candidatura ao Planalto.