skip to Main Content

Gestor público precisa ouvir a população afirma Caiado

Por Redação - 19/09/2020

Foto: Vinícius Schmidt

“O Estado tem que voltar os olhos para aqueles que nada têm. Como governante, é preciso esta sensibilidade, ter o espírito de solidariedade para com as pessoas”, destacou o governador Ronaldo Caiado durante live na noite desta sexta-feira, 18. Segundo ele, o gestor público precisa ouvir as demandas daqueles que não contam com respaldo de associações ou movimentos que deem voz às suas necessidades.

O governador afirmou que não existe em seu governo nenhum gesto que não seja com o objetivo maior: atender à população. “Não tem espaço para bandalheira, para corrupção, para populismo, para empreguismo como projeto de poder”, disse. Entretanto, lembrou que mudanças depois de 20 anos não são simples. “Não é fácil mudar a maneira de agir de toda uma máquina que havia sido, infelizmente, modificada no sentido de reverter muito mais para projetos políticos e pessoais do que para a população”.

Uma destas práticas voltadas para o social, por meio da viabilidade de inclusão no mercado de trabalho, é o CNH Social, que também foi tema do bate-papo. A segunda etapa do programa foi lançada na manhã desta sexta-feira pelo próprio governador em solenidade na sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-GO).

E no primeiro dia já foram registrados 101 inscritos na modalidade rural, 882 na estudantil e 4.147 na urbana. O montante já supera o quantitativo de vagas disponibilizadas nesta etapa, que são 4.014, ao todo.

Na live, o governador destacou a transparência adotada desde o início da gestão com as contas do Estado. Recordou as dificuldades do início do governo e conquistas já alcançadas. Como exemplo, mencionou os primeiros lugares que Goiás alcançou no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e também no ranking do segundo quadrimestre de 2020 do Mapa das Empresas. O Estado é primeiro lugar em tempo de abertura de empreendimentos.

Caiado recapitulou os esforços do Estado para atender, especialmente, aos mais vulneráveis durante a pandemia da Covid-19, como a distribuição de 500 mil cestas básicas por meio da Organização das Voluntárias de Goiás. Ações para coibir aglomerações em acampamentos no Rio Araguaia também foram mencionadas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top