skip to Main Content

Ministério Público oferece denúncia contra fisiculturista por feminicídio

Para o MP, Igor Porto Galvão matou a companheira por motivo fútil, utilizando de meio cruel e mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 29/05/2024 - 16:32

O relacionamento teria sido marcado por agressões físicas, verbais e psicológicas e traições por parte do denunciado

O Ministério Público de Goiás (MPGO) ofereceu denúncia contra o fisiculturista Igor Porto Galvão  pelo crime de homicídio de sua companheira (com quatro qualificadoras). O crime ocorreu no Parque São Pedro, em Aparecida de Goiânia, no último dia 10.

De acordo com o promotor de Justiça Milton Marcolino dos Santos Júnior, o crime está tipificado pelo artigo 121, parágrafo 2°, II, III, IV e V, do Código Penal (motivo fútil, utilizando-se de meio cruel, mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima e contra a mulher), combinado com artigos da Lei Maria da Penha.

O MP requereu também a fixação de valores para reparação dos danos causados, como previsto no Código Penal. Na denúncia, o promotor de Justiça relata que a vítima e o denunciado mantinham união estável há 9 anos, período em que tiveram uma filha, hoje com 5 anos. O relacionamento teria sido marcado por agressões físicas, verbais e psicológicas e traições por parte do denunciado.
Conforme apurado, o crime ocorreu na tarde do dia 10 deste mês, após uma discussão banal entre o casal, quando o denunciado agrediu a vítima com chutes e socos, causando-lhe diversas lesões e traumatismo crânioencefálico, que provocaram a sua morte.

Após as agressões e, com intuito de se ver impune, o denunciado deu banho na vítima e, com ela desfalecida, a levou a um hospital, apresentando a versão de que ela teria sofrido um acidente doméstico, relatou o promotor de Justiça. A vítima permaneceu internada e morreu no dia 20 deste mês.