skip to Main Content

Mudanças na temperatura podem provocar gripes e resfriados

Especialista alerta sobre riscos de doenças virais durante o outono e inverno


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 29/05/2024 - 17:30

O ar mais seco e a menor incidência de chuvas resultam em maior concentração de poluentes e alérgenos no ar, aumentando os riscos para a saúde respiratória

Com a chegada das estações de transição e variações climáticas, é comum o aumento de gripes e resfriados, por isso, é crucial adotar medidas de cuidado especial, principalmente para idosos e crianças. O ar mais seco e a menor incidência de chuvas resultam em maior concentração de poluentes e alérgenos no ar, aumentando os riscos para a saúde respiratória. Além disso, a tendência de passar mais tempo em ambientes fechados favorece a transmissão de doenças.

A especialista Silvia Fonseca, médica pediatra, infectologista e epidemiologista do IDOMED, destaca que não é a mudança brusca de temperatura o principal problema, mas sim a temporada de outono e inverno, quando as pessoas tendem a passar mais tempo em ambientes fechados. Esse cenário favorece a transmissão de doenças respiratórias, especialmente devido à tendência de aglomeração causada pelo frio, o que facilita a disseminação de agentes infecciosos.

“Durante esse período, o problema reside na diminuição das chuvas e, consequentemente, no ar mais seco, o qual resulta em maior concentração de poluentes, alérgenos, como poeira, e agentes infecciosos suspensos no ar. Além disso, devido ao frio, as pessoas tendem a se aproximar mais umas das outras, facilitando a transmissão ao tossir ou espirrar”, explicou Sílvia.

Crianças e idosos são grupos que requerem cuidados redobrados devido à sua baixa imunidade. As crianças estão em fase de construção das suas defesas imunológicas, enquanto os idosos, com o passar do tempo, tendem a perder parte da sua capacidade de defesa, tornando-se mais suscetíveis a agentes infecciosos.

Vale ressaltar que gripes e resfriados não são sinônimos. A gripe, também conhecida como influenza, é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório inferior e é causada por um grupo menor de vírus. Silvia explicou que normalmente se sabe quais são esses vírus influenza que vão prevalecer mais durante aquela estação, por isso a vacina é feita customizada para aquele tipo de vírus influenza que está circulando mais. Entre os sintomas da gripe estão febre alta, dor de garganta, dor de cabeça e nas articulações, além de poder levar a outras complicações, como pneumonia.

Por outro lado, os resfriados são causados por muitos vírus diferentes e são infecções virais leves e autolimitadas que afetam principalmente o nariz e a garganta. Eles podem causar febre baixa e geralmente duram de 3 a 5 dias.

Prevenção

A vacinação anual contra a gripe é uma medida crucial para prevenir a disseminação dessas doenças. Ela fortalece o sistema imunológico e reduz drasticamente os riscos de complicações, especialmente em grupos mais vulneráveis. Vale destacar que a vacina está disponível na rede pública para bebês a partir dos 6 meses até crianças de 6 anos, assim como para idosos acima de 60 anos e indivíduos com condições de saúde crônicas.

Outras medidas simples de prevenção são: manter ambientes ventilados, higienizar as mãos corretamente e evitar contato próximo com pessoas doentes, são fundamentais para reduzir o risco de doenças infecciosas. Além disso, o uso de máscaras é uma excelente medida de proteção para evitar a transmissão de microrganismos pelo ar, principalmente em ambientes com aglomerações. Dormir pelo menos 8 horas por dia e manter uma alimentação saudável também contribuem significativamente para fortalecer o sistema imunológico e reduzir as chances de contrair gripes e resfriados.