skip to Main Content

Anuário mostra um Brasil pior para mulheres e crianças


Avatar Por Redação Tribuna do Planalto em 23/07/2023 - 10:33

Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado esta semana mostra um crescimento da violência contra a mulher em 2022 em relação ao ano de 2021. Os casos de feminicídio cresceram 6,1% e as e as tentativas subiram 16,9%. Entre as principais causas do aumento da violência contra a mulher estaria a redução dos investimentos no enfrentamento à violência nos últimos anos. 

O país registrou 74.930 estupros, maior índice da série histórica iniciada em 2011, um aumento de 8,2% em relação ao ano anterior. As vitimas de estupro são em sua maior parte  criancas e adolescentes com menos de 14 anos (75,8% e o equivalnte a 56.820 pessoas). A maioria tem entre 10 e 13 anos e meninas e negros são os grupos mais vulneráveis ao estupro dentre as crianças e adolescentes.

Outro dado do anuário aponta que  72% dos estupros contra vítimas de até 13 anos foram cometidos dentro da própria residência e em 71,5% dos casos o estupro foi cometido por um familiar, sendo que pais e padrastos representam 44% dos autores.

O aumento da violência contra a mulher, crianças e adolescentes reflete o crescimento do ódio e da intolerância na sociedade e também a certeza da impunidade, sentimento que também vem ganhando força no país nos últimos anos.

É preciso, agora, reverter esses números, resultado dos valores sociais equivocados que transformaram a injustiça contra as minorias e pessoas vulneráveis em “mimimi”.

 

Leia também