skip to Main Content

Tarifa do transporte público continua em R$ 4,30

Por Redação - 28/02/2022

A Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), anunciou na última sexta-feira, 25, novos meios de uso do sistema na Região Metropolitana. As mudanças começam em abril, e a primeira será a implementação de bilhete único para o usuário, que poderá utilizá-lo por até duas horas e meia com pagamento de apenas uma tarifa.

“O transporte público na Região Metropolitana ganha novo capítulo. O anúncio de hoje é prova de que avançamos na missão de modernizar o sistema e garantir dignidade aos cidadãos”, afirma o prefeito de Goiânia Rogério Cruz (Republicanos), ao destacar que o colegiado definiu manter a tarifa que é cobrada do usuário em R$ 4,30.

Cruz explica que, no ano passado, a Prefeitura de Goiânia implantou sistemas de reconhecimento inteligente para usuários de cartões sociais, catraca que permitem pagamento por cartão de débito e crédito, bem como novo sistema de bilhetagem. “O próximo passo é tornar o custo do transporte mais justo por meio da nova modalidade de tarifação, a renovação e ampliação da frota, concluir o trecho Norte do BRT e integrá-lo ao sistema e priorizar a mobilidade dos ônibus da nossa capital”, frisa.

Com o bilhete único, o tempo gasto pelo usuário do transporte coletivo da Grande Goiânia pode cair até 50 minutos, segundo estimativa da CDTC.

Segundo o colegiado, as mudanças serão gradativas e começarão com a implementação do bilhete único, em abril. Haverá serviços complementares, como integração do CityBus 3.0 ao serviço convencional; bicicletas compartilhadas conectadas aos terminais de integração; implantação, reforma e manutenção de abrigos em pontos de parada de ônibus. Há, também, projeto de renovação e modernização de toda a frota em serviço na RMTC e Eixo Anhanguera.

De acordo com o presidente do colegiado, Adriano da Rocha Lima, o novo produto “evita a necessidade de terminais fechados, dando a liberdade para a população embarcar e desembarcar onde quiser”.

Para o secretário do Escritório de Prioridades Estratégicas da Prefeitura de Goiânia e vice-presidente da CDTC, Arthur Bernardes, é um desafio fazer melhorias no transporte coletivo sem mexer no bolso do usuário. “É para isso que nos esforçamos, melhorar a qualidade do transporte e assegurar cada vez mais transparência ao cidadão”, ressalta.

As mudanças anunciadas nesta sexta-feira incluem aquisição de bilhetes diário e semanal, que também permitirão embarque integrado fora dos terminais; cartões família, para que cinco pessoas possam embarcar com tarifa única aos finais de semana; e cartão assinatura, modalidade semelhante ao vale transporte que dá aos empregadores assinatura válida por 30 dias.

“É um momento ímpar, em que vamos oferecer para nossa população transporte de melhor qualidade, diferenciado. O cidadão terá mais autonomia e a mobilidade realmente funcionará como serviço”, avalia o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Tarcísio Abreu.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top